7 de ago de 2008

Preta Gata

Enquanto digito, kiki se estica o mais que pode para alcançar o teclado. Quer escrever também. Kiki já nem se chama mais assim, agora é Preta, “Preta Gata, muito prazer” diria ela na língua dos gatos. Ah, eu não disse? Kiki, ou melhor, Preta, é uma gata.

Gata pidona. Quer sempre tudo, principalmente colo. Pede comida nova, pede água fresca, pede pra brincar e soube pedir “me leva” quando ficou sozinha na caixa antes cheia de gatinhos siameses.

Vira-lata, preta e fêmea. Irresistível. Seus admiradores apaixonados já passam de dez. Até por tentativa de seqüestro ela passou. Frustada, óbvio. Foi resgatada do fundo da maxibolsa da seqüestradora fashion.

Manhosa, sabe conquistar até os mais reticentes. Até os mais arredios. Até os mais desconfiados. E assim, de mansinho, conquistou uma menina desconfiada. E assim, de mansinho, vai amolecendo o coração de outra menina, que não é desconfiada mas pensa que não sabe amar bichos. Bem, ela pensa que não sabe amar. Isso é o que ela pensa.

Nenhum comentário: